Monstros Marinhos na Idade Média: Mapas e Mitos

Monstros Marinhos em Mapas Medievais

Quando os marinheiros se lançavam ao mar em uma empreitada, um temor constante os assolava, o medo dos monstros marinhos representados em mapas marítimos.

15/09/2013

Quando os marinheiros se lançavam ao mar em uma empreitada, um temor constante os assolava, o medo dos monstros marinhos representados em mapas marítimos.

A Expansão do Cristianismo e Cartografia Medieval

Durante a Idade Média, um período propício para a expansão do Cristianismo, houve também um avanço significativo na cartografia. Nesse período, os mapas começaram a ser mais frequentemente adornados com desenhos de criaturas marítimas, refletindo as crenças e o imaginário da época.

Os Temores dos Marinheiros

Os marinheiros desta era, ao se aventurarem por mares desconhecidos, carregavam consigo o medo dos monstros marinhos. A Bíblia referia-se a estes seres como parte da criação divina, um conceito que se enraizou na mentalidade dos navegadores e influenciou as representações cartográficas.

Representações Cartográficas e Cultura

Os cartógrafos da Idade Média frequentemente incluíam ilustrações de monstros marinhos em seus mapas. Essas figuras, muitas vezes baseadas em enciclopédias ilustradas da época, como a “Historiae animalium“, refletiam tanto o conhecimento científico quanto as crenças populares da época.

Monstros Marinhos: Entre o Real e o Imaginário

Muitas das criaturas desenhadas nos mapas eram baseadas em animais reais, como baleias e tubarões, mas eram retratadas de maneira fantasiosa. Esta prática de representação estilizada tinha tanto um propósito decorativo quanto simbólico, refletindo a visão de que cada animal terrestre tinha seu correspondente marinho.

As Lendas Marítimas e sua Evolução

As lendas marítimas, como a do Kraken e sereias, eram comuns e contribuíam para o fascínio e o medo do desconhecido. Com o avançar do tempo, especialmente no século XVII, essas representações míticas começaram a dar lugar a ilustrações mais realistas, alinhadas com o pensamento iluminista e a exploração científica.

Monstros marinhos Medievais

Monstro marinho virando uma embarcação. Tais desenhos também podiam apenas simbolizar locais perigosos para a navegação.

Monstro marinho virando uma embarcação. Tais desenhos também podiam apenas simbolizar locais perigosos para a navegação.

Monstros Marinhos em Mapas Medievais

Ilustração: British Library, Maps.C.2.c.5.

Baleia virando uma embarcação.

Baleia virando uma embarcação.

Apesar das características fantasiosas, os animais aqui desenhados, na verdade, são uma baleia e uma orca.

Apesar das características fantasiosas, os animais aqui desenhados, na verdade, são uma baleia e uma orca.

Alguns monstros medievais eram animais que existiam no mundo real, porém ganhavam interpretações e traços artísticos, dando a impressão de que eram monstros.

Alguns monstros medievais eram animais que existiam no mundo real, porém ganhavam interpretações e traços artísticos, dando a impressão de que eram monstros.

As histórias épicas de batalhas contra animais ferozes, durante as navegações, compreendia um romantismo carregado de heroísmo e honra nas histórias medievais. Ilustração: National Library of Sweden.

As histórias épicas de batalhas contra animais ferozes, durante as navegações, compreendia um romantismo carregado de heroísmo e honra nas histórias medievais. Ilustração: National Library of Sweden.

Monstros Marinhos em Mapas Medievais

Monstros Marinhos em Mapas Medievais

Diversos animais monstruosos em cartografia antiga.

Diversos animais monstruosos em cartografia antiga.

Cartografia mostrando a Islândia e alguns monstros medievais marinhos.

Cartografia mostrando a Islândia e alguns monstros medievais marinhos.

Referências:
Imagens retiradas do livro “Sea Monsters on Medieval and Renaissance Maps”, de Chet Van Duzer.
– FONSECA, Luís Adão da. O imaginário dos navegantes portugueses dos séculos 15 e 16. Estudos Avançados, 1992.
– DUZER, Chet Van. Sea Monsters on Medieval and Renaissance Maps. Britich Library, 2013. Para uma “sample” do livro acesse aqui.
– BOVEY, Alixe. Monster and Grotesques in Medieval Manuscripts. University of Toronto Press, 2002.
– CLASSEN, Albrecht. The Epistemological Function of Monsters in the Middle Ages. Rivista di Filosofia, 2012.
– PORTE, Melissa La. A tale of Two Mappae Mundi: The Map Psalter and its Mixed-Media Maps. The University of Guelph, 2012.
– WASHBURN, Wilcomb. Representation of Unknown Lands in XIV -, XV – and XVI – Century Cartography. Revista da Universidade de Coimbra. Coimbra, 1969.
Avalie
[3.6]
[ssba-buttons]
[yarpp]