Monte Pinatubo: a segunda maior erupção vulcânica do século XX

No mês de julho de 1991, a segunda maior erupção vulcânica do século XX ocorreu no Monte Pinatubo, localizado na ilha de Luzon, Filipinas, cerca de 90 km da capital Manila.

A erupção do Monte Pinatubo

No dia 15 de março de 1991, uma série de tremores atingiu o monte Pinatubo, que estava adormecido há mais de 600 anos. No dia 2 de abril, uma série de pequenas erupções e tremores começou a ocorrer diariamente. A organização USGS (United States Geological Survey) enviou uma equipe de vulcanólogos e vários equipamentos e instrumentos com o objetivo de prever o dia exato da grande erupção, vez que uma evacuação precoce da população mediante poderia resultar em uma falta de confiança da população em uma nova previsão, o que poderia gerar uma tragédia de grandes proporções.

No dia 12 de junho, a primeira grande explosão lançou uma nuvem de cinzas vulcânicas, gases e rochas pulverizadas a mais de 20 km de altura. Fluxos piroclásticos atingiram regiões a 4 km da base do Pinatubo. Nos dias seguintes, dezenas de explosões atingiram alturas de até 40km e fluxos foram lançados a mais de 16km da base do monte. A nuvem de cinzas do Pinatubo cobriu uma área de 125 mil km² (equivalente a 80 cidades de São Paulo), cobrindo a luz do sol em uma vasta região.

A erupção do Pinatubo alterou o clima da Terra, vez que a nuvem de gases e cinzas vulcânicas se espalhou pela atmosfera terrestre e reduziu em 0.5 º Celsius a temperatura média global durante vários anos. Estima-se que entre 400 e 800 pessoas morreram em função das erupções. O monitoramento preciso da USGS evitou que a estimava de mais de 300 mil pessoas fossem vitimadas, evitando assim, aquela que teria sido a maior catástrofe natural do século XX.

Monte Pinatubo. Filipinas
Casa dos Vettii: a casa em Pompeia que sobreviveu ao Vesúvio

Casa dos Vettii: a casa em Pompeia que sobreviveu ao Vesúvio

Casa dos Vettii

A Casa dos Vettii, pertencente a dois irmãos prósperos, Aulus Vettius Conviva e Aulus Vettius Restitutus, comerciantes que alcançaram a liberdade e a riqueza, é famosa por seus afrescos bem preservados e arquitetura imponente. Os afrescos da Casa dos Vettii são particularmente notáveis, retratando cenas do cotidiano romano, mitologia e até mesmo aspectos eróticos, refletindo a complexidade e a riqueza da cultura romana

E Erupção do Monte Vesúvio em Pompeia

A erupção do Monte Vesúvio em 79 d.C. é um dos eventos vulcânicos mais catastróficos e conhecidos da história. A erupção resultou na completa destruição das cidades romanas de Pompeia, Herculano e várias outras áreas próximas. O Vesúvio, um vulcão localizado próximo à Baía de Nápoles na Itália, expeliu uma nuvem de pedras, cinzas e gases vulcânicos a uma altura de cerca de 33 quilômetros, liberando 100.000 vezes a energia térmica liberada pelas bombas de Hiroshima e Nagasaki.

Pompeia, localizada a cerca de 8 quilômetros do vulcão, foi sepultada sob uma camada de cinzas e piroclastos de 4 a 6 metros de profundidade. A cidade foi perdida por quase 1.700 anos antes de sua redescoberta em 1748. O que tornou a erupção particularmente mortal foi a combinação de queda de cinzas, lapilli (pedras pequenas) e fluxos piroclásticos – uma mistura superaquecida de gases quentes, cinzas e rochas.

Tais fluxos piroclásticos atingiram Pompeia e outras cidades com velocidades de até 700 km/h e com temperaturas de cerca de 300°C. A maioria dos habitantes de Pompeia morreu instantaneamente devido ao calor extremo, e seus corpos foram preservados pelas cinzas que os cobriram, criando moldes vazios que foram mais tarde preenchidos com gesso pelos arqueólogos para revelar suas últimas posições na vida.

“Primeiro, a terra tremeu forte, depois o dia se tornou noite e o céu desabou impondo toneladas de cinzas e rochas; por fim, o ‘magma’ selou a existência de uma das mais prósperas cidades do Império Romano — Pompeia desapareceu horas após a erupção do vulcão Vesúvio.”